domingo, 10 de abril de 2011

Como se deslocar em Sydney - NSW

Sydney é um cidade onde é relativamente fácil locomover-se utilizando o transporte público.

Um ótimo site que auxilia em encontrar a melhor rota dentro da cidade é o 131500.com.au.

Vamos a algumas opções de transporte e seus custos:

Viajando de ônibus
  • MyBus 1 TravelTen: AUD 16.00 (10 viagens de ônibus até 3-4 km)
  • MyBus 2 TravelTen: AUD 26.40 (10 viagens de ônibus até 4-8 km)
  • MyBus 3 TravelTen: AUD 34.40 (10 viagens de ônibus 8+ km)
O MyBus não possui validade, então para deslocamento eventuais acaba sendo mais econômico, pois você só paga quando usa.

Também é possivel comprar o bilhete direto com o motorista (os ônibus não tem cobradores), mas neste caso o valor é de: AUD 2.00, AUD 3.30, AUD 4.30, por viagem. Dependendo da distância viajada.

Os ônibus em geral são novos e limpos, e existe um limite de 15 passageiros viajando em pé, o que evita a super lotação, já aconteceu de o motorista impedir agente de subir no ônibus porque tinha muita gente. :(

O uso dos cartões pré-pagos com a passagem, acelera o tempo de embarque dos passageiros, é muito semelhante ao TRI de Porto Alegre, porém aqui em Sydney os tickets são de papel, em Melbourne o sistema é idêntico ao de POA, com cartões inteligentes que são recarregáveis.

As linhas mais movimentadas possuem intervalos de 10-15 minutos enquanto as outras em média de 30 minutos. O ônibus possuem prioridade no trânsito, com pistas exclusivas (as 'bus lanes' são pintadas de vermelho, e não aqueles corredores idiotas e caros de Porto Alegre, alguém já passou na 3a. Perimetral às 18h), é proibido circular com o teu carro nessas faixas exclusivas mas ao menos permite alguma flexibilidade da autoridade de trânsito para desafogar o trânsito em situações esporádicas. Os carros também devem obrigatoriamente dar prioridade aos ônibus quando eles estão saindo da parada, afinal 50 pessoas no ônibus tem mais prioridade do que 1 pessoa sozinha num carro né.

Mais informações no site do Sydney Buses.

Viajando de trem

Permite viagens mais rápidas porém não oferece a mesma oferta de destinos que os ônibus, os preços são:
  • MyTrain Single: AUD 3.30 (1 viagem até 10Km +/-)
  • MyTrain Single: AUD 4.00 (1 viagem até 15Km +/-)
  • MyTrain Single: AUD 4.60 (1 viagem até 20Km +/-)
  • MyTrain Weekly: AUD 25.00/31.00/37.00/47.00 (sete dias de viagens ilimitadas entre 2 destinos, depende da distancia)
Para calcular o custo entre duas estações, use o Fare Calculator.

Mapa das estações no site do CityRail.

Os trens do CityRail são pontuais e rápidos, porém o pessoal local reclama que antigamente era mais rápido e que os trens tiveram suas velocidades reduzidas para permitir manter a pontualidade e aumentar a segurança dos viajantes.

Os trens possuem diversos tipos de locomotivas e vagões de passageiros, maiores informações aqui: Frota do CityRail.

Viajando com o ticket único - MyMulti

A cidade possui um ticket múltiplo que permite viagens de trem, ferry boats, e ônibus ilimitadas durante sete dias, é chamado o MyMulti, ele oferece 3 perímetros de viagem dentro da malha ferroviária do CityRail, ou seja, o MyMulti1 permite viajar ilimitadas vezes dentro da área 1, o 2 e 3 permitem viajar em áreas adicionais calculando-se sempre a distância a partir do CBD (centro). Os ônibus não possuem esta restrição, então você pode utilizar qualquer ônibus em qualquer lugar 'de graça'. Assim como os ferrys.

Os preços em Setembro de 2010 são:
  • MyMulti1 AUD 41.00
  • MyMulti2 AUD 48.00
  • MyMulti3 AUD 53.00
O site MyZone oferece exemplos e detalhe bem o funcionamento deste ticket.
Este ticket só é vantajoso se você irá viajar multiplas vezes durante a semana entre destinos diferentes e usando modais (trem+ônibus+ferry) diversos, pois não restringe a origem e o destino da viagem de trem, como o MyTrain Weekly faz.

Viajando de carro


Andar de carro aqui em Sydney parece ser tranquilo, ainda não temos um carro, mas já demos algumas voltas com amigos e tudo parece mais organizado, até demais.
Para dirigir um carro em NSW, cada estado tem regras diversas, você primeiro precisa saber o tipo de seu visto:

  • Visto temporário (estudante, turismo, patrocinio): você pode dirigir com a carteira brasileira + tradução feita pelo NSW Community Relations Commission For a multicultural NSW. o RTA não aceita traduções feitas por tradutores NAATI. Ou você pode fazer a Permissão Internacional Para Dirigir (PID). Procure informações junto ao DETRAN de sua cidade. No RS isso custa R$ 32,00 e mais informações você encontra em PID no DETRAN-RS.
  • Visto permanente: você pode dirigir por apenas 3 meses após a primera entrada na Austrália, seguindo as mesmas regras descritas acima (tradução ou PID), depois desse período você é obrigado a fazer a carteira de motorista de NSW, mais informações em International Drivers - RTA.
O processo de habilitação na Austrália é um pouco mais complexo que no Brasil, existe 4 categorias de motoristas:

  • L - Learner: ou seja, aprendiz, nesta categoria o motorista só pode dirigir se estiver acompanhado de outro motorista licenciado na categoria Full. Não pode ultrapassar 80Km/h, tem que registar num livro pelo menos 120h de direção durante 12 meses, somente após isso ele pode aplicar para a P1. Mais em Getting your Ls. Para receber essa carteira você só precisa fazer o exame teórico de legislação de trânsito.
  • P1 - Provisional 1: Após cumprir os requisitos da categoria Learner, você precisa fazer a prova prática de direção e se passar já pode dirigir desacompanhado, porém ainda possui restrições, se fizer a prova num carro automático por exemplo só poderá dirigir carros automáticos até obter a Full Licence. A duração desta categoria é de 12 meses, quando você poderá aplicar para o Hazard Perception Test (HPT) que é um teste que analisa se você sabe distinguir e atuar em situações de risco no trânsito.
  • P2 - Provisional 2: Já pode dirigir até o limite de 100 Km/h mas ainda possui restrições quanto aos passageiros. Deve ficar 24 meses dirigindo nesta categoria para se qualificar a categoria seguinte.
  • Full: Essa é a categoria final onde o motorista não possui nenhuma restrição com relação ao uso do veiculo, equivale a carteira definitiva no Brasil. Podendo dirigir carros automáticos ou manuais.

Fonte: License Types - RTA.

Por sorte se você já é motorista no Brasil com mais de 3 anos de experiência você já pode tirar a Full Licence, evitando ter que passar por todo esse trabalho. Caso contrário você irá se enquadrar nas categorias de acordo com sua experiência.

Os custos associados a ter um carro médio (Toyota Corolla Hatch) aqui em NSW (Abril/2011) são:

  1. Full Licence (carteira de motorista) - 5 anos
    1. Prova teórica: AU$ 38.00
    2. Prova prática: AU$ 47.00
    3. Aluguel do carro + 1 aula prática antes da prova: AU$ 200.00 (se você já tiver o carro e se sentir confiante sem aula, pode economizar aqui)
    4. Taxa para emissão da carteira por 5 anos: AU$ 153.00
  2. REGO (registro do carro, parecido com o CRV/CRLV): +/- AU$ 300.00
  3. Stamp duty (3% até AU$45K depois 5%): AU$ 684.00
  4. Compra do carro 0Km: AU$ 22,800.00
  5. Comprehensive Third Party Insurance - CTP Insurance (ou Green-slip - equivalente ao DPVAT, seguro obrigatório contra danos a terceiros): AU$ 300-600
  6. Annual Roadworthy Certification (MOT) ou Pink-Slip (equivalente a inspeção anual, normalmente somente é exigido para carros com mais de 5 anos).
  7. Combustível em NSW: Unleaded Petrol (gasolina sem chumbo) em média AU$ 1.35 o litro.

Uma boa opção para quem não quer comprar um carro e só precisa para alguns eventos específicos é utilizar o serviço de compartilhamento de carros, aqui na Austrália o mais conhecido é o serviço chamado GoGet, uma fez feita a inscrição neste serviço você irá receber um cartão inteligente que permite desbloquear um dos diversos carros espalhados pela cidade, que precisam ser reservados com antecedência pelo sistema eletrônico via Internet ou telefone.
A grande vantagem é que você pode utilizar o carro por apenas 1 hora ou até pelo dia inteiro se precisar de mais tempo, desde é claro nenhum outro membro tenha reservado o mesmo veículo.
Aqui perto da nossa casa existem 5 carros a menos de 15 minutos de caminhada, sendo que um deles fica na porta do condomínio em uma vaga 'verde' reservada para ele.
Neste tipo de serviço você só paga apenas as horas e os quilômetros que utilizar, a GoGet irá pagar pelo combustível, lavagem, manutenção.
É um serviço conveniente, mas que também tem suas desvantagens quanto a possuir um carro próprio.

Outra opção é alugar carros em locadoras tradicionais, neste caso o preços variam bastante, uma boa opção local é a No Birds que tem preços bem interessantes, como por exemplo o aluguel do mesmo Toyota Corolla Hatch que mencionei acima por AU$ 30.00/dia para um periodo de no mínimo 7 dias.
As outras locadoras também tem escritórios por aqui: HertzAvisBudgetEuropcar.

Viajando de bicicleta/skate/patinete
A região da Grande Sydney possui um plano de sustentabilidade que prevê até 2020 a construção de diversas ciclovias (284km), alguns números:
  • 50% das viagens feitas por aqui são de menos de 5km, ou seja isso é 15 minutos numa bicicleta (eu estou no outro lado desses 50% nessa estatística e a pé mais o trem eu levo 35-40 minutos porta-a-porta até a empresa onde trabalho).
  • Estudos demonstram que para cada dólar investido em ciclovias gera 4 dólares de economia em saúde, ambiente e ganhos indiretos com a redução de congestionamentos.
Mais informações em Sydney Cycleways.

O custo para comprar uma bicicleta aqui é bem variado, existem marcas e tipos de bicicletas para todos os gostos, um bom local para iniciar a busca é o site bikeexchange.com.au.

Viajando a pé


A vida de pedestre aqui é tranquila, eu diria que 99% dos semáforos possuem avisos sonoros e visuais para auxiliar no cruzamento de ruas mais movimentas, nas faixas de pedestres o carro é obrigado a parar (não precisa parecer um palhaço esticando o braço no meio da calçada e vendo os carros desrespeitarem a faixa). Porém aqui só tem faixa de segurança aonde não tem semáforo, o que evita confusão sobre quem prioridade. O pedestre tem que respeitar o carro assim como o carro tem que respeitar o pedestre, simples e civilizado. A acessibilidade das calçadas também é fantástica, é difícil ver um esquina que não tenha o cordão rebaixado para uso por cadeirantes e outros veículos de auxílio a locomoção.
Bom o custo de viajar a pé é realmente a sola do sapato e as calorias queimadas, e no verão o suor :)

1 comments:

Ártemis disse...

Olha que post interessante ;)

Tô aqui, no longo caminho pro visto, mas Sydney é ainda uma de minhas opções.

Obrigada